Rondônia, 18 de Outubro de 2017
ESPORTES

Hamilton e a contagem regressiva do tetra

Fonte: Assessoria
  • Hamilton e a contagem regressiva do tetra
Ná na mão. O resultado do Grande Prêmio do Japão, disputado neste domingo no circuito de Suzuka, deixou Lewis Hamilton muito próximo de assegurar o tetracampeonato da Fórmula 1 nesta temporada. O inglês da Mercedes fez uma corrida tranquila, com apenas um pequeno susto no fim, quando seus pneus apresentaram uma forte vibração e Max Verstappen se aproximou bastante. Mas o holandês da RBR não conseguiu atacar e Hamilton conquistou sua oitava vitória no ano, a quarta nas últimas cinco corridas da temporada. Para completar, ainda contou com o abandono do rival Sebastian Vettel, com problemas em sua Ferrari. Tudo isso deixou o piloto inglês com a chance de ser campeão por antecipação já no GP dos Estados Unidos, no dia 23: precisa vencer e torcer que o alemão da Ferrari chegue no máximo na sexta posição em Austin. Depois de tudo o que aconteceu nas últimas três corridas, alguém duvida?

A fase de Hamilton é esplendorosa. O inglês está no auge da forma e conseguindo desempenhos espetaculares, principalmente depois das férias da Fórmula 1. Desde o GP da Bélgica, o inglês marcou 118 pontos (quatro vitórias e um segundo lugar), contra apenas 45 de Vettel (um segundo, um terceiro, um quarto e dois abandonos). 73 a mais.

É muita coisa. Mas não é só isso: o piloto da Mercedes engrenou uma sequência de 21 GPs nos pontos, a maior da carreira. O último abandono de Hamilton foi no GP da Malásia de 2016, quando estava na liderança e seu motor quebrou. E como se não bastasse a extrema competência, a sorte ainda resolveu bafejar Hamilton. É só ver a quantidade de problemas que assolou a Ferrari nos últimos três GPs. A mais bizarra delas, sem dúvidas, aconteceu neste domingo: um problema em uma das velas.

Isso mesmo. Um problema em uma das velas. Para quem não sabe, a peça é a responsável pela faísca que faz queimar o combustível e dar potência ao motor. Exatamente do mesmo jeito que nos carros de rua. E sabe quanto custa uma vela na Fórmula 1? Apenas R$ 160 (US$ 50). Ou seja: Vettel pode ter dado adeus ao sonho do tetra por causa de uma peça que custa apenas 0,00001% do orçamento da equipe italiana, que gira em torno de R$ 1,5 bilhão. Ao mesmo tempo, é uma falha praticamente impossível de detectar previamente. E o imponderável, do qual tanto Vettel dependia para diminuir a vantagem de Hamilton, atacou novamente o alemão. O sonho do pentacampeonato ficou bem distante depois dos problemas nas últimas três corridas da temporada.

E o que Hamilton precisa agora para ser campeão? Pensando nas últimas quatro corridas, basta um quarto lugar e três quintos. Mas já dá para ele assegurar o caneco nos Estados Unidos, como escrevi no início do post: precisa vencer e Vettel chegar no máximo na sexta posição. Para encerrar no México, duas vitórias seguidas bastam. Bem, já deu para perceber que o título está nas mãos do inglês da Mercedes, que cresceu na hora certa do campeonato. Já os problemas da Ferrari mostram que Vettel correu no limite o tempo todo. Uma hora ia dar errado. E as duas potenciais dobradinhas jogadas no lixo serão decisivas neste fim de temporada: o acidente na largada em Cingapura e as falhas nos motores de Vettel e Raikkonen na Malásia. Duas provas em que a equipe italiana tinha o melhor carro. Só acho uma pena que um campeonato tão legal e equilibrado acabe sendo decidido dessa forma. É claro que Hamilton merece o título, isso não está em questão. Mas a decisão merecia ir até a última corrida do ano, em Abu Dhabi.

Voltando a falar da corrida, belíssimo desempenho de Max Verstappen. Pela segunda corrida seguida o holandês soube mostrar seu arrojo nos momentos certos, como na ultrapassagem sobre Vettel logo na primeira volta. Poderia até ter ameaçado mais a vitória de Hamilton, não tivesse sido atrapalhado pelo retardatário Fernando Alonso a duas voltas do fim. Mas foi um bom domingo para Verstappen e também para a RBR: o australiano Daniel Ricciardo também subiu ao pódio com a terceira posição. A equipe austríaca vem em uma boa evolução nesta fase final de temporada, depois de corrigir os erros de desenvolvimento no chassi deste ano. Com isso, a expectativa do time para 2018 aumentou.

Fonte: Globoesporte.com
  • Hamilton e a contagem regressiva do tetra