Rondônia, 19 de Setembro de 2019
ESPORTES

Primeira previsão para início das obras do novo autódromo no Rio de Janeiro é em setembro

Fonte: Assessoria
  • Primeira previsão para início das obras do novo autódromo no Rio de Janeiro é em setembro
A candidatura do Rio de Janeiro a receber a Fórmula 1 a partir de 2021 deu novo passo no último fim de semana: representantes do Rio Motorsports, consórcio vencedor da licitação para as obras de construção de um autódromo em Deodoro, Zona Norte da cidade, estiveram em Mônaco para uma série de reuniões com a cúpula do Liberty Media, grupo americano que controla a categoria mais importante do automobilismo. Nas conversas, foram relatados os últimos procedimentos nos bastidores, como a busca pelas licenças ambientais para as intervenções no terreno cedido pelo Exército, e foi dada a primeira previsão para o começo das obras: setembro deste ano. A entrega do complexo seria em março de 2021.

Enquanto isso, no campo político, foi instalada nesta quarta-feira a Comissão Parlamentar formada na Câmara dos Deputados do Rio de Janeiro para acompanhar os processos. Os deputados vêm trabalhando em conjunto com o consórcio para que todas as contrapartidas ambientais previstas no edital de licitação sejam cumpridas e as obras não demorem a ter início. Para que a licença seja concedida, os responsáveis pelas intervenções ainda precisam entregar os documentos técnicos chamados de Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e Relatório de Impacto Ambiental (Rima).

O Rio Motorsports apresentou também o projeto de gestão para o complexo Rio Motorpark, que, entre outras coisas, terá o Autódromo Ayrton Senna, nome que será dado por sugestão do presidente da República, Jair Bolsonaro. Segundo o que foi mostrado em Monte Carlo, o complexo proporcionará uma série de outras atividades, como circuito de testes para montadoras, além dos chamados "track days" para quem quiser acelerar na pista, e até desenvolvimento de lubrificantes e combustíveis. No terreno, também há um local destinado a receber shows de música.

Dos investidores que participam do projeto, dois já são conhecidos: a empresa alemã Sporttotal, que opera autódromos como o de Nürburgring, e a brasileira Golden Goal, especializada em gestão e marketing esportivo. No entanto, segundo o Rio Motorsports, há outros investidores, tanto no Brasil como no exterior, que estão no projeto, e a primeira projeção é de que os cerca de R$ 700 milhões que serão gastos para erguer o complexo sejam recuperados em oito anos, no cenário mais otimista, se o equipamento for utilizado como o pretendido.

Traçado com supervisão de Ross Brawn
O traçado definitivo de cinco quilômetros, revelado em primeira mão pelo GloboEsporte.com, tem a assinatura do arquiteto alemão Hermann Tilke, designer de outros autódromos da Fórmula 1 como Austin (Estados Unidos), Xangai (China), Sakhir (Barein), Hermanos Rodríguez (México), Baku (Azerbaijão), Sochi (Rússia), Yas Marina (Abu Dhabi).

No entanto, a aprovação do layout também teve a participação efetiva de Ross Brawn, atual diretor técnico da Fórmula 1. Os ajustes em relação ao primeiro traçado divulgado em junho de 2018 têm como objetivo deixar o novo autódromo totalmente de acordo a receber os carros que serão utilizados pela categoria a partir da temporada de 2021.

Na agenda de encontros em Mônaco, houve também o acompanhamento de todos os procedimentos relacionados à logística de uma corrida de Fórmula 1, como entrega de credenciais, acesso do público, separação por setores de arquibancada e organização das estruturas.


Fonte: Globo Esporte
  • Primeira previsão para início das obras do novo autódromo no Rio de Janeiro é em setembro